Esforço Muscular Excêntrico

Depois de um treinamento intenso, tanto os principiantes como os veteranos experimentam uma dor aguda e difusa muscular, caracterizado pela dor a palpação, impotência funcional, redução da faixa de movimento e inclusive, alteração de padrões de recrutamento.

Esta dor aparece pela disfunção mecânica e a inflamação muscular, atuando sobre os receptores da dor (nociceptores). Este estado é conhecido como Dor Muscular de Início Tardio (DOMS). Os sinais aparecem durante as primeiras 24 horas, alcançando seu pico de dor entre 24 e 48 horas após o exercício.

Primeiro se entendeu (visto que não se demonstra em pesquisas científicas) que o lactato, produto de refugo gerado pela via glucolítica anaeróbica, cristalizava intramuscularmente, provocando lesões.

Evidências científicas como as biópsias musculares, estudos com répteis, análise de pacientes com a enfermidade do McArdle (quem não pode gerar ácido láctico) e o conhecimento , das extremas condições que se deveriam dar para que cristalizasse o lactato, que desaparece do músculo transcorrida uma hora do exercício têm feito desprezar esta teoria.

Atualmente, defende-se a hipótese da lesão estrutural como fator desencadeante das ‘dores musculares’. O dano muscular (ruptura de sarcolema, de miofibrillas, proteínas entre outros) é maior no esforço excêntrico (FIGURA 1)

Esforço Muscular Excêntrico Esforço Muscular Excêntrico

Este regime de capacidade muscular se caracteriza, por um lado, como um regime que gera maior força, até 130% de 1RM, por outro lado, para uma mesma carga se recrutam menos unidades motoras, pelo que será menor o número de fibras musculares a que suportem a carga.

Estas peculiaridades a convertem em um regime com elevado potencial lesivo, e que será diretamente proporcional à intensidade do esforço excêntrico.

Embora sejam muitas as variáveis das que depende o crescimento muscular ( hipertrofia e / ou hiperplasia muscular) uma das que mais peso tem, apóia-se no ‘break down and build up’ fundamentada na teoria de adaptação biológica da degradação/síntese.

Esta se resume em que se torna necessário degradar (dentro de alguns limites) como estímulo, para gerar uma supercompensação, gerando uma síntese, e portanto, favorecendo o processo anabólico ( crescimento).

Como se comentou anteriormente, o trabalho excêntrico aumenta os níveis de lesão, destruição ou degradação protéica.

A partir deste conhecimento os treinamentos que procuram, o aumento de força máxima não específica ou o aumento de massa muscular está acostumado a estar caracterizado por uma maior ênfase pelo trabalho excêntrico ou fase negativa.

Este interesse se vê refletido algumas vezes, na execução de uma fase negativa mais duradoura que a fase positiva ou concêntrica, e outras, na aplicação de métodos baseado neste tipo de trabalho, tais como o heavy-duty, que consiste em combinar repetições forçadas e negativas sem pausa, ou o 120-80, baseado na realização de uma fase negativa aos 120% de 1 RM e a ascensão a 80% de 1RM (difícil de ver, pela necessidade de material específico).

O lado positivo deste regime de trabalho se contrasta com a aparição do mencionado DOMS, que lembremos que aparece principalmente nos esforços excêntricos. Sua manifestação pode prolongar de 2 a 6 dias, pelo que nos planejamentos semanais (microciclos) deve-se propor o trabalho de um grupo muscular, ou dois, por dia da semana, para não repetir treinamento com músculos não recuperados. Devido a isto, esta ênfase da fase negativa não é recomendável nem para crianças, nem para adultos que não pretendam ganho de força exagerada, nem aumento de massa muscular.

Com isso evitamos primeiro a elevada sensação de ‘dores musculares’, e por outro, o excessivo estresse, que desencadeia efeitos nocivos para a saúde ( entre outros, aumento da pressão sangüínea, esforço cardíaco de pressão, a uma respiração de esforço e inclusive um Valsalva ou esforço com bloqueio de respiração) similar aos esforços estáticos ou isométricos, devido às grandes exigências.

Como conclusão, podemos dizer que, existe uma relação entre o dano muscular provocado pelos trabalhos excêntricos e a aparição da inflamação muscular retardada, ‘dores musculares’. Conhecendo as causas, métodos , conseqüências e planejamento do trabalho excêntrico, pode-se combinar, enfatizar ou reduzir a fase negativa do regime dinâmico em função dos objetivos que se pretendam.

Esforço Muscular Excêntrico 2 Esforço Muscular Excêntrico

Tradução: Teu Corpo.com.br

Referência: www.aptavs.com

Arquivado em Musculação

Leia outros artigos relacionados

Uma Resposta para “Esforço Muscular Excêntrico”


  1. Jacques Laurence
    17nov

    ESSE BANNER NO SITE PRINCIPAL É PALHAÇADA

Deixe um comentario